Mais de 1.000 pessoas participam da mobilização contra abuso sexual e exploração infantil

27/10/2017
O evento contou com a participação de todas as escolas do município, vereadores, polícia militar e população em geral.
O evento contou com a participação de todas as escolas do município, vereadores, polícia militar e população em geral.

Uma mobilização de combate à exploração a crianças e adolescentes que ficará marcada para a História de Paranã. Assim foi a caminhada realizada no final da tarde desta quinta-feira, 26. O evento contou com a participação de todas as escolas do município, vereadores, polícia militar e população em geral e faz parte de uma das ações da secretaria de assistência social.

“Essa belíssima mobilização ficará para a história. Parabéns a todos vocês. Vamos juntos e unidos combater a exploração contra as nossas crianças”, disse a primeira dama e secretária de assistência social, Silmara Ribeiro.

Balanço

Segundo dados da polícia militar mais de mil pessoas participaram da mobilização. A campanha começou na terça-feira, 24, e contou com palestra com a psicóloga, Clerdinice Tolentino Chaves nas escolas Floracy Bonfim, Colégio Desembargador Virgílio de Melo e Soldadinho de Jesus.

Na escola soldadinho as crianças plantaram flores no jardim mostrando com essa ação o quanto o seu corpo deve ser preservado contra abusos e aprenderam em forma de canção o número 100, que serve para denunciar possíveis abuso e exploração sexual.

Já no Colégio DESOR, a palestra teve a participação do promotor, Nilton Quintana e do delegado, Elizeu Maciel que destacaram leis e punições para aqueles que praticam a violência contra a criança e adolescente.

“Esses crimes são considerados como hediondos e aqueles que o cometem cumprem pena em regime fechado de oito anos, essas condutas são punidas pela legislação. Estaremos atuando ainda mais com todo vigor para impedir esses tipos de crimes”, explicou o promotor Nilton Quintana na ocasião.

Como denunciar


O Conselho Tutelar é um órgão autônomo, essencial ao Sistema de Garantia de Direitos, responsável por zelar pelo cumprimento dos direitos de crianças e adolescentes. Quando há suspeita de violência sexual é importante acionar o Conselho Tutelar. Denunciar é o primeiro passo para romper o silêncio contra esse crime.

Já o disque 100 é um serviço que funciona 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As denúncias podem ser anônimas, e o sigilo das informações é garantido. As demandas recebidas pelo Disque 100 são encaminhadas, no prazo máximo de 24 horas, aos órgãos competentes.


Monik Helen Gomes de Sousa.


img_alt
img_alt